quarta-feira, 1 de junho de 2011

Calendário Atualizado 2011 - Competições Veteranos (Grand Masters)

Está disponivel o Calendário-2011 para as principais competições para Veteranos (Masters) e Kata.
It is Available the 2011 - Calendar for Grand Masters (Veterans) and Kata Competitions.

COMPETIÇÕES OFICIAIS MASTER (VETERANOS) - 2011
OFFICIAL JUDO GRAND MASTER (VETERANS) CHAMPIONSHIPS - 2011


16th until 19th      OFFICIAL FIJ        III CAMPEONATO MUNDIAL DE VETERNOS (MASTERS)
Jun-2011                                          3rd Grand Master Judo World Championships
                                                         FRANKFURT - GERMANY  

13th until 15th      OFFICIAL FIJ      2011- CAMPEONATO MUNDIAL DE KATA
Jun-2011                                          2011 - KATA WORLD CHAMPIONSHIP
                                                         FRANKFURT - GERMANY

11th                      OFFICIAL FPJ     2011 - CAMPEONATO PAULISTA VETERANOS (MASTERS)
Jun-2011                                2011 - PAULISTA GRAND MASTER JUDO CHAMPIONSHIP
                                                          AMPARO – SÃO PAULO – BRAZIL

11th                      OFFICIAL FPJ     2011 - CAMPEONATO PAULISTA DE KATA
Jun-2011                                           2011 – KATA PAULISTA CHAMPIONSHIP
                                                          AMPARO – SÃO PAULO – BRAZIL

27th until 31th     OFFICIAL          III CAMPEONATO SULAMERICANO VETERANOS (MASTERS)
Jul-2011                                             3rd SOUTH AMERICA GRAND MASTER CHAMPIONSHIP
                                                           MONTEVIDEO – URUGUAY

27th until 31th       OFFICIAL          III COPA SUL AMERICANA DE KATA – 2011
Jul-2011                                             3rd KATA SOUTH  AMERICA CHAMPIONSHIP
                                                           MONTEVIDEO – URUGUAY

06th                     AMISTOSO         43º TORNEIO PERIQUITO DE JUDO (S.E.PALMEIRAS) - 2011
Aug-2011                                          43º PERIQUITO JUDO TOURNAMENT
                                                          SÀO PAULO – BRAZIL

07th until 09th       OFICIAL FIJ        I CAMPEONATO ASIATICO DE VETERANOS (MASTERS)
Oct-2011                                           1st ASIA GRAND MASTER CHAMPIONSHIPS 2011
                                                          TASHKENT – UZBEKISTAN

23th until 25th       OFICIAL FIJ       I CAMPEONATO PANAMERICANO VETERANOS (MASTERS)
Sep-2011                                           1st PANAMERICAN GRAND MASTER CHAMPIONSHIP
                                                          PORTO ALEGRE - BRASIL

Date Undefined      AMISTOSO      2011 - TORNEIO SPORT CLUBE CORINTHIANS PAULISTA
                                                          2011 – SPORT CLUBE CORINTHIANS TOURNAMENT
                                                          SÃO PAULO – BRAZIL

15th and 16th         AMISTOSO      66º  TORNEIO BUDOKAN DE JUDO
Oct-2011                                           66th BUDOKAN TOURNAMENT
                                                          CITY UNDEFINED – SÃO PAULO - SP

29th                        OFICIAL CBJ     2011 - CAMPEONATO BRASILEIRO VETERANOS (MASTERS)
Oct-2011                                            2011 – BRAZILIAN GRAND MASTERS CHAMPIONSHIP
                                                           SÃO PAULO – BRAZIL

29th                        OFICIAL CBJ      2011 - CAMPEONATO BRASILEIRO DE KATA
Oct-2011                                            2011 – KATA BRAZILIAN CHAMPIONSHIP
                                                           SÃO PAULO – BRAZIL

4th until 6th          OPEN                  1st ONTARIO INTERNACIONAL MASTERS JUDO (World Master)
Nov-2011                                          1st ONTARIO INTERNACIONAL MASTER JUDO
                                                          COLLINGWOOD – CANADA

Date Undefined       OFICIAL FIJ     IV CAMPEONATO MUNDIAL DE VETERANOS (MASTERS)
2012                                                  4th Grand Master Judo World Championships                                                            
                                                          CITY UNDEFINED – BRASIL

domingo, 29 de maio de 2011

V Copa Budokan de Judô - 2010 – Mogi – Parte II

Não posso negar, estava bastante ansioso, logo após o comprimento iniciamos os estudos e a briga pela melhor pegada, ele tentava me patolar com a mão direita e eu me esquivava e tentava patolá-lo da mesma forma, dificultando suas investidas, ele nitidamente levava vantagem no quesito força e ataque, por algumas vezes ele conseguiu me patolar e rapidamente tentava um osoto-gari, mas sem efeito. Eu por outro lado não conseguia fazer uma entrada se quer, esta situação me levou a levar a primeira advertência (shido) por falta de combatividade e ele sabendo desta punição continuou dominando a pegada e forçou uma nova advertência (outro shido), só que desta vez ela se tornou um yuko.

Agora a situação me obrigava a mudar a forma de luta e conseqüentemente eu precisaria abrir o jogo, isto é, precisava me expor, fiz algumas investidas sem qualquer efeito e em um momento quando o Juiz disse MATE por sairmos da área, aconteceu o que eu temia; No retorno (Hajime) ele veio rapidamente para cima e conseguiu pegar a minha manga e patolar-me, esticou a perna e entrou um osoto-gari - Yuko! Gritou o Juiz. Para minha sorte o golpe não foi efetivo – um Ippon, eu consegui virar no momento exato da queda, caindo de lado.

Levantei furioso disposto a virar a luta, não me importava se ia perder de Ippon ou Yuko, eu queria ganhar, para isto fui para cima e trocamos pegadas e aplicamos vários golpes sem efeito, faltando 10 segundos para terminar a luta ele começou a me empurrar para fora da área, eu rapidamente segurei nas duas mangas pressionei-as para baixo e virei um sode-tsuri-komi-goshi, senti ele subir nas minhas costas quando a manga esquerda dele escapou da minha mão e eu não consegui finalizar o golpe, ele escorregou pelo meu lado direito e ouvi no fundo o arbitro dizer : SOROMADE!

Minha ultima esperança havia literalmente escapado pela minha mão direita e também qualquer chance de me classificar na competição, precisava vencer esta lutar para ir para semifinal.

Para dizer a verdade fiquei até certo ponto satisfeito, no final da luta eu olhava para o rosto do Trinca e o via suado, cansado e me parecia um pouco assustado, creio que ele percebeu que se a manga não tivesse escapado eu conseguiria ter finalizado no último segundo, mas como no judô não existe “SE” ele saiu vitorioso. Além disto, ele é um atleta TOP no Master e é uma pessoa que merece todo o respeito.

Para finalizar os combates na luta seguinte ele venceu com facilidade e na final ele enfrentou o Rogerio Shinobi da Vila Sonia, onde perdeu sua invencibilidade na competição.

Após a luta e com o meu ânimo em seu devido lugar o meu o corpo começou a esfriar e comecei a sentir algumas dores musculares, vamos dizer: - Sintomas comuns para um veterano depois de um shiai. Mas uma dor especifica começou a incomodar com maior freqüência – o desconforto em meu ombro direito começou a aumentar. Isto mesmo, aquela mesma dor de semanas atrás agora aumentada exponencialmente, porém não sabia o quanto a minha ignorância iria custar...

domingo, 22 de maio de 2011

V Copa Budokan de Judô - 2010 – Mogi – Parte I

Em 13 de Janeiro de 2010 retorno aos treinos e aos preparativos para as competições de 2010, sinceramente estava empolgado com os resultados do ano anterior, via boas perspectivas para o ano.
Em 04 de Janeiro completei exatamente um ano sem fumar, uma vitoria tão fantástica quanto ganhar um campeonato Brasileiro. Neste periodo eu estava bem e só precisava me dedicar aos treinos, a primeira competição seria V Copa Budokan de Judô em Mogi das Cruzes e seria muito forte. Todos os competidores precisavam pegar ritmo e esta competição seria a única oportunidade antes da Copa São Paulo, primeira competição oficial do calendário paulista, e premiaria o primeiro colocado com uma vaga para o Campeonato Paulista e Sul Brasileiro.

Como todo inicio de ano a maioria estava fora de forma e peso, e no meu caso não era diferente, estava com 86 kilos, e a categoria que iria lutar o limite era de 81 kilos, resumindo precisava entrar em forma rapidamente.  Treinando mais forte e comendo um pouco menos consegui chegar aos 81kilos e estar apto a lutar no Meio-Médio, algo que só consegui as vésperas da competição.

Chegamos cedo ao ginásio municipal de Mogi das Cruzes e fui rapidamente para a pesagem, para a minha alegria pesei 81 kilos cravados. Na minha categoria tinha atletas bastante fortes como o Trinca, o Xuxu e o Shinobi, todos bastante experientes em competições Master.

Lembro-me que diferente da década de 80 hoje não se sabe qual a área que se vai lutar, é feita uma fila imensa de atletas e conforme as áreas vão ficando vazias são preenchidas por novos combates. Não posso negar ficou mais rápido e aparentemente mais organizado, mas é extremamente cansativo para os atletas e estimula o nervosismo para a luta, além de prejudicar o espectador que não sabe quem vai lutar e onde. Esta sensação para quem assiste é muito confusa.

A minha primeira luta seria com um rapaz do São Caetano, um faixa marrom que parecia nervoso, preocupado e descrente, neste combate para ajudar o nosso nervosismo descobrimos que o combate seria gravado para o programa “Caminho Suave” que passa todos os domingos as 16:00 hs no canal TV Aberta e fica disponível na internet no link http://www.programacaminhosuave.com.br/,  muito destes combates são  narrados pelo grande amigo, judoca e professor Fernando Catalano.

Eu estava suando e rezava para a lutar começar logo, sabia que depois do primeiro golpe tudo voltaria ao normal, Lembro-me da pegada, consegui matar gola e manga com facilidade, deixei o braço de meu adversário inoperante, empurrava-o para fora da área quando ele resolveu soltar a mão da minha manga, era tudo que eu precisava, rapidamente entrei um o-soto-gari sem defesa – IPPON! Foi muito bonito, com a descarga da adrenalina acabei saindo até de maneira errada, fui querer passar na frente do arbitro lateral que logo me corrigiu.

A minha segunda luta seria duríssima, o meu adversário seria o Trinca. Eu treinei com ele uma única vez no Projeto Futuro e tinha sofrido bastante para sair da sua pegada, naquele treino fui jogado algumas vezes, desta forma eu sabia o que deveria ser feito, tinha consciência de sua força e preparo físico. Neste momento eu entendia que podia ter alguma vantagem a minha envergadura e a quantidade de golpes pareciam ser maiores, mas eu tinha certeza, se eu perdesse a pegada seria jogado sem piedade e pensando desta forma iniciei o combate.

domingo, 8 de maio de 2011

A graduação

“A faixa preta representa o começo - o início da jornada sem fim de disciplina, trabalho e a busca por um padrão cada vez mais alto." – Autor Desconhecido
Muitas vezes quando achamos que fazemos bem algo, esquecemos de ser verdadeiros judocas, levamos em conta somente nossa habilidade de vencer e esquecemos a base de ensinamentos desta nobre arte:

         “Suavidade – JU”
         “Máxima eficiência com o mínimo de esforço - SEIRYOKU-ZEN-YO”
         “Bem estar e Beneficio Mutuo – JITA-KYOEI”

Durante a vida nós temos altos e baixos. No meu caso eu tive um distanciamento do judô a partir de 1990, o meu confinamento durou aproximadamente 18 anos, fiquei estagnado no 1º Kiu (faixa marrom), apesar de receber a faixa preta nos EUA, esta não tinha o significado e/ou a representatividade de receber no Brasil.

No final de 1989 já havia feito o katinuque shiai  o objetivo era ganhar cinco lutas seguidas pela pontuação minima, o curso de mesário, o curso e exame de Kata. Faltava ainda o curso de filosofia do Judô, trabalhar de mesário em competições e pagar a taxa para graduação, os itens restantes eu só conseguiria concluir em julho ou dezembro de 1990, mas por circunstancia do destino após o acidente fui obrigado a passar por uma cirurgia no tornozelo.  Este motivo somado a frustração de ficar quase um ano sem andar e mais o desgosto pelo descaso do clube que eu defendia, esta situação me fez repensar o que eu queria para a minha vida e acabei tomando outro caminho.

O "Caminho Suave"  nos faz levar os conceitos e ensinamentos instituídos pelo Mestre Jigoro Kano para o dia-a-dia, ajudando-nos a refletir e agir conforme os estes ensinamentos.

Eu sabia que tecnicamente não era talentoso quando comparado com outros atletas, mas eu tinha o meu diferencial: a dedicação, o trabalho duro e a determinação. E com estas qualidades existia algo na minha personalidade que me impulsionava para frente “a personalidade rebelde”, termo bastante conhecido entre os psicólogos, apesar de precisar de palavras de apoio, incentivo, carinho como qualquer ser humano, eu na maioria das vezes precisava ser desafiado, desacreditado. Uma das coisas que mexia comigo era ouvir: É impossível ou você não vai conseguir. Isto fazia meu rendimento aumentar exponencialmente e isto me fazia avançar e vencer os meus desafios.

Estas qualidades foram moldadas dentro do judô e da família que conheci dentro deste ambiente. Eu quero que isto faça parte da vida dos meus filhos e esta determinação seja passada de geração para geração. Graças a meus filhos e esposa criei coragem para voltar e agora me dedico ao ponto em minha opinião mais difícil - “JITA-KYOEI”, tentando oferecer um pouco do meu conhecimento não só de judô, afinal de judô tem pessoas muito mais competentes do que eu, mas de vida, determinação e trabalho duro.

A entrega da faixa-preta foi feita na “Hombu Budokan” pelas mãos do Sensei Hitoshi Ogawa com a presença dos alunos da noite, e afirmo: Sempre me sinto perdido quando recebo alguma homenagem, neste dia não foi diferente, pois foi uma entrega surpresa e abriu-se uma exceção para que eu recebesse a graduação de kimono azul. SENSEI: “- ARIGATO GOZAIMASSU”.
Por meio desta dedicação recebi minha graduação através da indicação do Sensei Hitoshi e Hatiro Ogawa, e a entrega oficial foi feita pelas mãos do Shihan Massao Shinohara e esta mesma faixa acompanhou meu Pai em sua cremação, foi a maneira que encontrei para homenageá-lo e agradecê-lo.

Fiquei muito emocionado em receber das mãos do Sensei Massao a minha faixa, ele representa tudo de bom nesta arte chamada Judô. A habilidade que mais admiro neste mestre é a capacidade de falar e ouvir, “sua psicologia” – sua capacidade de tirar o maximo de uma pessoa e eu afirmo que ele possivelmente é uma das poucas pessoas que eu conheço que eu não consigo dizer NÃO. De longe com olhos atentos mais ao fundo estavam Sensei Hitoshi e Hatiro Ogawa, que também tenho muito a agradecer.


Nesta passagem encontrei alguns amigos que continuaram sua caminhada enquanto eu estava adormecido, um deles muito próximo Mauricio Kawahara, recebendo o 3º Dan, hoje um dos responsáveis pelos fortes treinos que acontecem na Vila Sonia, como disse em outro post “Eu acredito nele”. O outro era Dagnino (EC Pinheiros) graduando-se como 4º Dan, também vem fazendo um ótimo trabalho no EC Pinheiros e vem passando sua experiência para os mais jovens.



Posso dizer – a experiência é fascinante e me arrependo profundamente de não ter me graduado antes. A emoção se torna maior devido ao meu amadurecimento, se fosse graduado quando mais jovem não daria o mesmo valor.

Por isto termino este post dizendo à frase que ouvi de Sensei Massao Shinohara na década de 80: “O verdadeiro judô começa quando se conquista a faixa-preta”.

domingo, 1 de maio de 2011

Brasileiro de Veteranos 2009 – Resultado Esperado

Apesar do cansaço e sono, eu no fundo queria lutar, mas sentia-me um pouco culpado e não sentia-me confortavel em competir. Nesta uma hora pensei varias vezes em não lutar, mas logo em seguida apareciam lembranças fortes instigando-me a lutar. Tenho certeza que ele não ficaria feliz se eu não lutasse, possivelmente uma das suas decepções foi eu ter parado de praticar judô na decada de 90, quando tive a primeira cirurgia no meu tornozelo. Pensando nisto e por outras razões particulares decidi lutar e comecei a preparar as coisas para competir, tomei um banho, falei com a Sabrina e fui para o Sport Club Corinthians. Sinceramente acreditava que poderia surpreender, apesar de não ser supersticioso não podia esquecer, nos anos 80 nunca havia ganho uma competição naquele Ginásio, o maximo que consegui foi um terceiro lugar, ganho por um koka duvidoso. Neste momento pensei que tabus foram feitos para serem quebrados e naquele dia eu poderia vencer mais um.

Após a pesagem confirmou-se - Eu estava na categoria até 81 kgs (meio-médio), M2 (35 até 39 anos) fiquei vagando pelo ginásio e não conseguia me concentrar. Fiquei parado olhando para as áreas de competição me veio uma lembrança não tão agradável. Lembrei-me que a ultima competição que participei naquele Ginásio foi contra o Uchida (Vila Sonia) na categoria Junior Ligeiro, fazia muitos anos, porém recordei que vencia a luta por um yuko merecia um wazari, foi um lindo Yoko-Tomoe utilizando o pé-direito algo que não era comum eu fazer, afinal meu pé bom é o esquerdo. Lembro-me como se fosse hoje, eu controlava a luta, estava ganhandoe faltava pouco menos de cinco segundos, ele andou para o lado eu travei o passo, e nesse momento ele entrou rapidamente um Yoko-Tomoe - Wazari e Soromade gritou o Juiz. perdi a luta ... Triste lembrança, mas tinha consciência ganhar ou perder é parte da vida e devemos aprender com cada uma delas.

Fora a lembrança inadequada para o momento, quando iniciou os combates estava calmo, não havia pressão sobre os meus ombros, a primeira luta foi com um rapaz de São Paulo, faixa marrom, era canhoto e tinha a pegada forte, tentei algumas vezes o ouchi-gari e o-soto-gari sem qualquer efeito. Em seguida ele tomou uma advertência (shido) por falta de combatividade, no momento que o arbitro autorizou a volta do combate (hajime!), matei a manga esquerda, deixei ele patolar o meu ombro, arranquei a pegada com a mão direita, fazendo a pegada manga-manga, empurrando para fora da área no momento que ele parou de recuar entrei rapidamente um sode-tsuri-komi-goshi, Ippon! Gritou o arbitro.Final de combate, e eu estava satisfeito com o primeiro combate.

No segundo combate enfrentaria o Denilson (Praia Grande) atleta forte, e que havia ficado em segundo lugar no Paulista Sênior deste ano, sinceramente achei que poderia surpreendê-lo, mas logo nos primeiros segundos percebi que não seria tarefa fácil, sua pegada tinha um pressão incrível e conseqüentemente não conseguia me mover com facilidade e muito menos arrastá-lo, tentei entrar alguns golpes de perna como de-ashi-barai, ouchi-gari e ameçava alguns uti-matas. Neste momento percebi que ele aguardava calmamente uma oportunidade, rapidamente ele patolou-me e travou os meus movimentos, levando-me para o canto da área e aplicou um sumi-gaeshi – wazari! Gritou o arbitro, em seguida ele partiu para ossae-komi , utilizando o tate-shiho-gatame, com a imobilização ficou impossível de movimentar , passaram-se vinte segundos – wazari! Ippon! Soromade. Terminava ali a minha esperança de surpreender, agora para minha decepção teria que aguardar a repescagem para tentar o terceiro lugar.

Fiquei muito apreensivo e estava cansado, queria acabar logo com aquilo. Meu próximo adversário seria um faixa marrom, não me parecia forte e nem habilidoso, primeiro erro – subestimar seu adversário. Para dificultar ainda mais eu comenti um segundo erro –  Eu o pressionava meu adversario para lutar logo.

Minha espera demorou aproximadamente quinze minutos e fomos para área de combate, após o hajime, segurei em seu kimono e percebi que não seria complicado até entrar o primeiro golpe. Quando tentei entrar um o-soto-gari, percebi que a base dele era forte, e que ele se pendurava em mim, dificultado as minhas investidas, ele lutava com o braço duro não deixando me aproximar e eu não o movimentava o suficiente para colocá-lo em uma posição desconfortável, este foi o meu terceiro erro, da metade da luta em diante sentia o cansaço por ele estar pendurando em mim e numa entrada desajeitada e desesperada de ouchi-gari acabei levando um contra golpe um de-ashi-barai, wazari! Decretou o arbitro, eu estava incrédulo e irritado ao mesmo tempo e infantilmente comecei atacar desenfreadamente e quando parei de atacar o meu adversário se pendurou e entrou um Yoko-Wakare pendurando-se em mim e me jogou... Ippon! Acabava ali a chance do terceiro lugar e eu agora teria que me contentar com o quinto lugar.

Para ser sincero eu não fiquei chateado com o resultado, apesar de não gostar de perder, mas naquele momento eu estava muito mais preocupado com o meu pai e queria saber se ele estava bem. De qualquer forma, a minha atitude ou comportamento não poderiam ser justificadas, depois de algum tempo eu me senti mal, pois tenho certeza que não fiz o meu melhor...

domingo, 24 de abril de 2011

Brasileiro de Veteranos 2009 – A preparação

Após o Sulamericano fiquei uma semana recuperando-me do shiai, isto comprova a minha teoria, eu estava fisicamente despreparado.  Meu corpo sentia o esforço efetuado nos dias anteriores. Pensando nestes problemas comecei a planejar meu treinamento até o Brasileiro previsto para Novembro de 2009. Aumentei a carga de treinos e procurei treinar pelo menos quatro vezes por semana. Para evitar contusões mais serias adotei a rotina de não treinar muito forte, porém o velho corpo despreparado começou a sentir o esforço e algumas contusões começaram a surgir.  Primeiro foram os tornozelos e depois o ombro direito, sentia algumas fisgadas, mas depois de aquecido a dor passava e eu continuava a treinar.

Esta foi minha rotina de treino inicial, obvio que o planejamento determinado não se manteve até o final, no meio deste processo ocorreu um fato que mexeria comigo e meus famíliares e consequentemente mudaria a rotina de todos.

Minha mãe constantemente dizia que meu pai estava com muitas dores e não queria ir ao medico de jeito nenhum. Tentei por algumas vezes convencê-lo a ir para o hospital, mas todas as investidas foram em vão, e eu sinceramente acreditava que a situação estava sob controle e no momento oportuno ele nos deixaria levá-lo. Não me lembro exatamente quando, mas minha mãe reclamava que meu pai marcava os exames e não fazia ou os mesmos eram marcados com uma distancia muito longa prejudicando a sua coragem de fazê-los. Porém em determinado momento as dores começaram a ficar mais fortes e eu estava muito preocupado. Em uma conversa com uma amiga Pilar, a quem serei eternamente grato, comentou e indicou o Doutor Murilo homem calmo e discreto que nos ajudaria com tal imbróglio.

Meu pai tinha pavor de hospital por uma serie de motivos, mas graças a Deus o Doutro Murilo conseguiu marcar grande parte dos exames no mesmo dia. Ficamos o dia todo no hospital, meu pai reclamava e queria ir embora, mas depois de dar varias broncas consegui conter sua angustia e ele conseguiu fez os exames.

Lembro-me da noticia do Dr. Murilo e não eram nada animadores, ele estava com metástase por todo abdômen e brevemente o seu intestino iria parar. Seria necessário fazer uma cirúrgia o mais rápido possível, porém devido ao grau avançado da doença, consegui convencer ao Dr. Murilo a deixá-lo a voltar para casa.

De volta para casa meu pai se sentia um pouco mais tranqüilo e aliviado, eu não disse nada profundo para ninguém sobre a doença, mas disse que a situação era grave, e possivelmente meu pai precisaria ser internado, então precisava da compreensão e paciência todos. Com o passar dos dias fui contando sobre a doença para o meu pai, apesar de achar que ele já sabia, mas acreditei que por um motivo ou outro não quis enfrentá-la ou achou poderia resolvê-la de alguma outra forma, mas infelizmente esta doença é cruel e não tem piedade, especialmente se não for tratada desde o inicio.

Como era esperado na véspera da competição 14/11/2009 meu pai começou a sentir-se mal e teve que ser internado para fazer uma cirurgia de emergência, o seu intestino havia parado de funcionar e agora necessitaria tirar parte do intestino grosso e fazer uma ......, a cirurgia levou boa parte da madrugada do dia 15, mas lembro que o Dr. Murilo as 4:30 am aproximadamente informou que tudo estava bem e agora ele ficaria em recuperação e que podia ir para casa. Não preciso nem dizer, fui para casa e não consegui dormir, fiquei perambulando pelo apartamento por algum tempo, deitei na cama e fiquei pensando se deveria ou não lutar...

domingo, 17 de abril de 2011

1ª Competição Oficial – Sul Americano de Veteranos – Absoluto

Para fazer a inscrição no absoluto nós tínhamos um período de aproximadamente uma hora e meia, durante este periodo perguntei a mim e a amigos se deveria lutar, no fundo já sabia a resposta, mas estava inseguro e procurava algo ou alguma coisa para me apoiar, isto é, queria um empurrãozinho. Não demorou muito para decidir-me, percebi vários atletas do meio-leve, leve e meio-médio M2 se inscrevendo, então decidi ir até a mesa tecnica e fazer a minha inscrição também.

Uma das primeiras lutas do Absoluto M2 foi o rapaz que classificou primeiro na minha categoria versus o Sergião (Palmeiras), combate que imaginei ser tranqüilo para o Sergio, enganei-me redondamente o rapaz do sul era realmente muito forte e deu uma canseira no Sergio até jogá-lo de yuko, surpresa na área! Estava ansioso e o Motta acabou me tranqüilizando, passou dicas importantes sobre o meu primeiro adversário. Motta  disse-me que era um adversário duro, mas não tinha nenhum golpe forte para me preocupar, fiquei um pouco mais tranqüilo com a informação e comecei a me preparar para o combate.

Quando comparo as lutas anteriores que fiz na categoria versus a primeira luta no absoluto,  eu considero que estava extremamente calmo, mas aguardava ansioso a entrada no tatame. Após o hajime efetuado pelo arbitro central as coisas se tornaram muito complicadas, ele era destro, tinha bastante força, e imprimia um volume forte na luta, conclusão, perdia a pegada há todo o momento e não consegui me aproximar. Ele me patolava e deixava o braço duro, pesando nas costas e além de tudo ele dava vários chutes (Eu não posso chamar o que ele fazia de de-ashi-barai - risos), neste formato de luta e eu não conseguia me movimentar acabei recendo shido (advertência por falta de ataque), não demorou muito levei o segundo shido e conseqüentemente perdia por yuko, tentei atacar algumas vezes, mas não tive sucesso. Somente em uma ocasião consegui entrar um ouchi-gari e derrubá-lo, na minha opinião um wazari, mas o arbitro lateral acusou que eu apliquei fora da área e foi invalidando a minha investida, a partir deste momento o gás acabou e não tinha mais comando sobre o meu corpo, o meu adversario começou a movimenta-se mais rapido e me abaixou-me, forçando-me a levar uma nova punição, porém agora perdia de wazari. Por alguns instantes consegui me recompor e lutar mais um minuto até o final do combate, mas perdia inquestionavelmente, em nenhum momento tive o controle da luta e em um único momento dei um golpe efetivo, terminei conformado, mas estava ciente que precisava melhorar muito se planejava vôos mais altos no Master.

A partir daí comecei a pensar nas minhas falhas e no que poderia melhorar, e nas ultimas horas da competição acompanhei as lutas por equipe e conversei com os amigos, algo que não tem preço.

As competições Masters são uma forma de extravasar as tensões do dia-a-dia e de rever os amigos. Não posso reclamar de nada foi ótimo, ganhei uma medalha e estava motivado a continuar, próxima parada Campeonato Brasileiro Master, eu estava com bons pressentimentos sobre esta competição, mas como nada é fácil...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Calendário 2011 - Competições Veteranos (Grand Masters)

Está disponivel o Calendário-2011 para as principais competições para Veteranos (Massters) e Kata.
It is Available the 2011 - Calendar for Grand Masters (Veterans) and Kata Competitions.

COMPETIÇÕES OFICIAIS MASTER (VETERANOS) - 2011
OFFICIAL JUDO GRAND MASTER (VETERANS) CHAMPIONSHIPS - 2011

17th                                      VI COPA KIMONOS BUDOKAN
Apr-2011           AMISTOSO       6th KIMONOS BUDOKAN CUP
                                           MOGI DAS CRUZES – SÃO PAULO – BRASIL

16th until 19th      OFICIAL FIJ         III CAMPEONATO MUNDIAL DE VETERNOS (MASTERS)
Jun-2011                                          3rd Grand Master Judo World Championships
                                                         FRANKFURT - GERMANY  

13th until 15th      OFICIAL FIJ       2011- CAMPEONATO MUNDIAL DE KATA
Jun-2011                                          2011 - KATA WORLD CHAMPIONSHIP
                                                         FRANKFURT - GERMANY

11th                      OFICIAL FPJ      2011 - CAMPEONATO PAULISTA VETERANOS (MASTERS)
Jun-2011                                2011 - PAULISTA GRAND MASTER JUDO CHAMPIONSHIP
                                                          AMPARO – SÃO PAULO – BRAZIL

11th                      OFICIAL FPJ      2011 - CAMPEONATO PAULISTA DE KATA
Jun-2011                                           2011 – KATA PAULISTA CHAMPIONSHIP
                                                          AMPARO – SÃO PAULO – BRAZIL

Date Undefined     AMISTOSO       43º TORNEIO PERIQUITO DE JUDO (S.E.PALMEIRAS) - 2011
Aug-2011                                          43º PERIQUITO JUDO TOURNAMENT
                                                          SÀO PAULO – BRAZIL

07th until 09th       OFICIAL FIJ        I CAMPEONATO ASIATICO DE VETERANOS (MASTERS)
Oct-2011                                           1st ASIA GRAND MASTER CHAMPIONSHIPS 2011
                                                          TASHKENT – UZBEKISTAN

23th until 25th       OFICIAL FIJ       I CAMPEONATO PANAMERICANO VETERANOS (MASTERS)
Sep-2011                                           1st PANAMERICAN GRAND MASTER CHAMPIONSHIP
                                                          PORTO ALEGRE - BRASIL

Date Undefined      AMISTOSO      2011 - TORNEIO SPORT CLUBE CORINTHIANS PAULISTA
                                                          2011 – SPORT CLUBE CORINTHIANS TOURNAMENT
                                                          SÃO PAULO – BRAZIL

15th and 16th         AMISTOSO      66º  TORNEIO BUDOKAN DE JUDO
Oct-2011                                           66th BUDOKAN TOURNAMENT
                                                          CITY UNDEFINED – SÃO PAULO - SP

29th                        OFICIAL CBJ     2011 - CAMPEONATO BRASILEIRO VETERANOS (MASTERS)
Oct-2011                                            2011 – BRAZILIAN GRAND MASTERS CHAMPIONSHIP
                                                           SÃO PAULO – BRAZIL

29th                        OFICIAL CBJ      2011 - CAMPEONATO BRASILEIRO DE KATA
Oct-2011                                            2011 – KATA BRAZILIAN CHAMPIONSHIP
                                                           SÃO PAULO – BRAZIL

Date Undefined                         III CAMPEONATO SULAMERICANO VETERANOS (MASTERS)
                                                           3rd SOUTH AMERICA GRAND MASTER CHAMPIONSHIP
                                                           CITY UNDEFINIED – URUGUAY

Date Undefined                         III COPA SUL AMERICANA DE KATA – 2011
                                                           3rd KATA SOUTH  AMERICA CHAMPIONSHIP
                                                           CITY UNDEFINIED – URUGUAY

Date Undefined       OFICIAL FIJ     IV CAMPEONATO MUNDIAL DE VETERANOS (MASTERS)
2012                                                  4th Grand Master Judo World Championships                                                            
                                                          CITY UNDEFINED – BRASIL

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

1ª Competição Oficial – Sul Americano de Veteranos – A semifinal

Ippon-Seoi-Nague
Enquanto aguardava a minha luta comecei a perceber que alguns faixas-pretas (yudan) estavam perdendo para alguns atletas menos graduados (dangai) faixa roxa, faixa marron, faixa verde e faixa laranja. E não estavam perdendo por uma pequena pontuação ou decisão de árbitros (hantei). Todos os yudan estavam perdendo de IPPON, estava nítido que os “dangais” estavam bem preparados e eram mais fortes que os “yudans “, esta situação acabou gerando um desconforto entre os mais graduados e eu fiquei mais atento ao meu próximo adversário, ele era do Rio Grande do Sul , faixa roxa e extremamente forte, assisti ele vencer a primeira luta por “IPPON” utilizando um Ippon-Seoi baixinho. No outro combate também venceu por “IPPON”, mas desta vez utilizou uma katada.

Eu aplicando Ouchi-Gari
Inicio da semifinal - estava bastante apreensivo,  preocupado com as katadas e com o Ippon-seoi do meu adversário. No inicio da luta consegui equilibrar a força utilizando-me de uma pegada forte, e anulei as katadas matando a manga direita e a pegada da gola fazia mais alta com o cotovelo dobrado, conseguindo mante-lo a uma distancia razoável facilitando a minha esquiva e dificultando suas investidas. Em um determinado ponto da luta tenho certeza que consegui encaixar um ouchi-gari de dentro da área para fora da área, mas não foi pontuado, na minha percepção e para aquem estava assistindo aquela queda havia gerado um yoko, mas o arbitro lateral apontou como se eu tivesse iniciado o golpe fora da área. Paciência, eu não estava me sentindo prejudicado, pois enganos acontecem e aquela não era a primeira e nem seria a ultima vez que aconteceria. A luta ficou equilibrada, porém aos 2 minutos aproximadamente meu adversário aplicou um ippon-seoi baixinho, me levando para o chão, porém não cai, a única parte do meu corpo que tocou no chão foi minha testa, neste momento o arbitro central deu um “yuko“ e em seguida parou a luta “MATE”. Um dos árbitros , Sensei Uchida (JAL) , pediu para tirar, o outro arbitro lateral infelizmente estava olhando para a luta na área ao lado e não viu nada, conclusão: O “yuko” foi mantido e agora estava em uma situação bastante delicada.

Neste momento fui para o ataque, porém não conseguia encaixar nenhum golpe e por três vezes ele entrou o ippon-seioi de fuga, dificultando ainda mais minha vida. Naquele momento fiquei bastante irritado. Do meu ponto de vista meu adversário havia sido beneficiado pelo arbitro central e por um dos laterais. Infelizmente este tipo de problema  ou "ERRO" acontece e só posso pensar que com o passar do tempo isto não mais ocorrerá.

Com a derrota fiquei desapontado e triste com ocorrido, mas lembrei-me das afirmações e palavras de dois mestres Sensei Massao Shinohara e Sensei Akira Yamamoto:  "- No adianta ficar bravo com arbitro, se você tivesse jogado de IPPON não tinha porque ficar bravo.", comecei a rir. Lembrei-me que eles tinham razão...

Me reequilibrei e agora teria um outro desafio, estava aguardando o vencedor da repescagem e assim lutar pela 3ª colocação. Assisti atentamente as lutas do meu adversário. Ele era um dangai faixa-laranja que venceu todos os adversários por IPPON, incluindo alguns faixa-preta, suas vitorias foram concretizadas no chão, analisando o meu adversário, ele aparentava ser muito forte fisicamente e possivelmente era praticante de jiu-jitsu e portanto eu não teria vida fácil.

O-Soto-Gari
As minhas observações sobre meu oponente logo se confirmaram, iniciamos o combate nos estudando e lentamente fizemos a pegada, para minha surpresa acabei perdendo neste item e fiquei em uma posição desconfortavel, mas felizmente eu tinha recursos suficientes para sair daquela situação tão incomoda. Meu adversário tentou fazer uma ou duas katadas sem qualquer efeito e tentou um ippon-seoi que também não causará qualquer efeito. Nas minhas investidas apliquei alguns golpes como: uchi-mata e ouchi-gari.  Mas não obtive sucesso, ele estava preparado para receber este tipo de golpe. Por alguns momentos tentei efetivamente brigar na força com meu oponente, mas logo percebi que seria inútil e tive uma idéia enquanto trocava pegada. Devido a inexperiência do meu adversário, percebi que ele estava acostumado a lutar fazendo muita força, então resolvi afrouxar a pegada. Exatamente isto, a minha manga estava dominada e eu só tinha a minha mão na gola dele na altura do rosto e empurrava-o para trás deixando ele longe de mim, neste momento eu afrouxei a o braço da gola e deixei ele se aproximar...Eu lembro do cara dele, ele ficou surpreso quando sentiu que não havia mais resistência , neste momento de vacilo aproveitei-me de sua desconcentração e entrei um osoto-gari com uma única mão, em um milésimo de segundo eu coloquei toda minha força na minha mão e braço direito e encaixei minha perna como se fosse um foice e joguei-a o mais alto possível, eu lembro que senti ele voar, ele estava leve, foi fantástico! Lembro até agora, depois de vê-lo estampado no chão, vi um senhor que estava próximo da área e se não estou enganado ele era Uruguaio e fazia parte da FIJ, ele vibrava com aquilo viu. Neste momento eu tinha certeza que havia entrado um golpe lindo e perfeito, e sinceramente pela dificuldade deve ter sido um dos “IPPONS” mais bonitos que dei em toda minha vida...

Estava confirmado. Eu havia conquistado o 3º Lugar no Sul Americano de Veteranos – M2 - Meio Médio. Não estava satisfeito, mas sabia que para primeira competição não era um resultado ruim, agora era só subir no podium...

Um pouco mais confiante, agora pensava em lutar no absoluto. Não posso negar, estava receoso.  Minha preocupação era lutar com alguém mais pesado e me machucar, mas depois de refletir achei interessante voltar ao tempos de Benemeritos, eu sempre gostei deste tipo de competição. E como não poderia ser diferente quem está na chuva é para se molhar, entao que venha o absoluto, pelo menos motivado eu estava, mas logo na primeira luta já iria perceber que não era bem assim....

3o Colocado - I Sul-Americano Veteranos de Judo


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Atualização - Calendário Competições Último Trimestre 2010 - Master (Veteranos) e Kata

Agora Disponivel! Ultimas Atualizações - Calendário do último trimestre de 2010 e a agenda inicial para 2011 para as competições para Veteranos (MASTERS) e Kata.
(Available! Update - Calendar of last quarter 2010 and initial schedule 2011 for Veterans (Master) and Kata.)

COMPETIÇÕES OFICIAIS MASTER (VETERANOS) - 2010
OFFICIAL JUDO GRAND MASTER (VETERANS) CHAMPIONSHIPS - 2010

28/10/2010       II Copa Sul-Americana de Kata
                       2nd South American Cup of Kata
                               BENTO GONÇAVES - RS - BRASIL

29-30/10/2010  II Sul-Americano de Veteranos
                       2nd South American Campionship Vetarans - Master
                               BENTO GONÇAVES - RS - BRASIL

23-24/10/2010  21th Internacional Sankaku Tournament
                              BERGAMO - ITALIA

14/11/2010       Brasileiro de Veternados (Shiai)
                              Brazilian Judo Championship for Veterans - Master
                              S.B. DO CAMPO - SP - BRASIL

14/11/2010      Brasileiro de KATA
                      Brazilian Kata Championship
                      S.B. DO CAMPO - SP - BRASIL

PRÉVIA - COMPETIÇÕES OFICIAIS MASTER (VETERANOS) - 2011
PREVIEW - OFFICIAL JUDO GRAND MASTER (VETERANS) CHAMPIONSHIPS - 2011

21-28/05/2011  III Campeonato Mundial de Veteranos (Masters) de Judo - FIJ
                              3rd Grand Master Judo World Championships - IJF
                      Sharm El Sheikh - EGITO

21-28/05/2011 Campeonato Mundial de Kata - FIJ
                             Kata World Championships - 2011 - IJF
                     Sharm El Sheikh - EGITO

UNDEFINED         Campeonato Panamericano de Veteranos - Master
                             Panamerican Judo Grand Masters Championships
                      CITY/COUNTRY - WITHOUT DEFINICION

segunda-feira, 5 de julho de 2010

1ª Competição Oficial – Sul Americano de Veteranos – Hajime!

Após o anuncio das lutas da categoria M2 – Meio Médio iniciei meu aquecimento atrás da área 2 com o Sergião, atleta do Palmeiras, peso pesado, 120 kgs aproximadamente. Com o novo espírito sabendo que deveria mudar a estratégia das competições anteriores, eu inicie o processo de adequação do meu corpo ao esforço que deveria fazer nos meus combates, para esta situação fiz o aquecimento em três partes: Exercícios para aquecimento das articulações e músculos, entrada de golpe no Sergião carregando e troca de pegada com o mesmo utilizando o maximo de força possível sem que eu ficasse cansado. Este processo durou aproximadamente 20 minutos quando ouvi meu nome e disseram-me sua luta é a aproxima.

Meu coração acelerou, a adrenalina estava alta e eu não sabia e não via meu adversário até que ficamos alinhados na entrada da área, ele era mais baixo que eu e parecia ser forte, pela estatura dele imaginei que um dos maiores problemas poderiam ser o ippon-seoi, morote-seio e as katadas, logo após o comprimento ficamos nos estudando até executar a pegada, logo senti que não seria fácil. Ele era mais forte do que eu imaginava e pendurava-se de forma que não permitia a fazer qualquer entrada mais perigosa, neste momento eu comecei a tomar uma atitude mais passiva e logo me lembrei dos combates anteriores , neste momento ele me irritou profundamente, primeiro entrou um ippon-seoi no chão que foi só uma tentativa frustrada, pois não teve qualquer efeito e com a cabeça ele me acertou o nariz, o juiz disse:”- Mate” e logo em seguida “Hajime!”, novamente ele veio com a mesma estratégia somente fazer força e não lutar, fiquei realmente furioso e decidi partir para cima, não conseguia fazer a pegada gola-manga então mudei para pegada gola-gola e comecei a entrar alguns de-ashi-barai e ouchi-gari para faze-lo se movimentar , arrastei-o até o canto da área , puxando-o e entrei um uchi-mata, no primeiro estagio senti um resistência, então levantei mais a perna e puxei mais as golas, senti ele sair do chão neste momento minha mão esquerda escapou do kimono dele, mas já era tarde : “- IPPON”. Eu cai para frente devido ao impulso e força utilizada para a entrada do golpe. Estava aliviado com menos de dois minutos havia passado pelo primeiro obstáculo, e eu estava feliz tinha sido rápido e eficaz como eu havia planejado.

Para segunda luta eu estava mais tranqüilo e mais confiante desta vez seria outro faixa-preta e aparentemente da minha altura. Fizemos o comprimento ele era destro e rapidamente consegui inutilizar sua mão direita,isto é, consegui matar sua manga direita, deixando-o com poucas opções, logo ele tentou entrar um ippon-seoi , mas foi inútil e neste momento começamos a andar lateralmente quando bati um okuri-ashi-barai que ele desequilibrou, como estávamos praticamente de frente aproveitei do desequilíbrio dele e entrei um ouchi-gari, desequilibrando-o para trás e em seguida puxei-o para frente obrigando a dar dois passos o primeiro com pé esquerdo e o segundo com o pé direito, quando com a puxada consegui o desequilíbrio e apliquei um tai-otoshi no tempo, perfeito - conclusão: “- IPPON”, e em menos de trinta segundos de luta, estava feliz consegui efetuar aquilo que eu havia imaginando e agora estava mais animado, mais uma luta e eu estaria na final...

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Calendário Competições 2o Semestre 2010 - Master (Veteranos) e Kata

COMPETIÇÕES OFICIAIS DE JUDO MASTER (VETERANOS) - 2010
OFFICIAL JUDO GRAND MASTER (VETERANS) CHAMPIONSHIPS - 2010 


12/06/2010                          - PAULISTA VETERANOS SHIAI E KATA
                                                SAO PAULO - AMPARO
17/08/2010 até 22/08/2010 - 12th OPEN MATERATHLETE JUDO CHAMPIONSHIPS
                                                CANADA MONTREAL
02/09/2010 até 05/09/2010 - PANAMERICAN VETERANS CHAMPIONSHIPS
                                                 USA ORLANDO
17/09/2010                            - II COPA SULAMERICANA DE KATA
                                                RIO GRANDE DO SUL - GRAMADO
18/09/2010 até 19/09/2010 - III SULAMERICANO DE VETERANOS
                                                 RIO GRANDE DO SUL - GRAMADO
13/11/2010                            - BRASILEIRO VETERANOS SHIAI e KATA
                                                 SEM DEFINIÇÃO / WITHOUT DEFINITION

 

COMPETIÇÕES AMISTOSAS MASTER (VETERANOS) - 2010
IMPORTANTS JUDO CHAMPIONSHIPS - INCLUDE MASTER (VETERANS) - 2010

11/09/2010 ate 12/09/2010  - 65o TORNEIO BUDOKAN DE JUDO
                                              - COPA HINODE - SBC
                                              - TORNEIO PERIQUITO - S.E.PALMEIRAS

segunda-feira, 7 de junho de 2010

1ª Competição Oficial – Sul Americano de Veteranos – A competição

Cheguei ao hotel aproximadamente as 23:00 hs debaixo de uma garoa fina e fui para o quarto, liguei a televisão e tentei relaxar. Isto funcionou nos primeiros trinta minutos depois eu queria dormir e não conseguia, estava muito ansioso, minha preocupação iniciava com o peso e terminava com meu desempenho na competição. Resumindo fiquei rolando na cama de um lado para outro até as 1:00 hs da manhã, como não conseguia dormir resolvi radicalizar, corri por trinta minutos . Quando voltei para o quarto tomei uma ducha e fui dormir, desta vez consegui sem muito esforço.

Acordei as 7:00 hs sonolento para variar, só desperto depois do banho, a principio estava me sentido bem, logo após o banho revigorante sentei-me na beirada da cama e fiz a primeira oração do dia, agradeci a oportunidade e pedi proteção e energia para aquele dia. Peguei a mala e a pasta com a papelada da competição e fui para o ginásio, afinal precisa fazer a pesagem.

Local da Competição - Porto Alegre / RS

Quando cheguei ao ginásio o período de pesagem livre havia expirado, portanto agora só a pesagem oficial me restava e uma única tentativa. Se estivesse acima dos 81 kgs teria que lutar no Médio (até 90 kgs), naquele momento fiquei apreensivo, não sabia se ia correr um pouco mais ou se iria para as cabeças. Resolvi ir para as cabeças, acreditava que estava dentro do peso, tinha restringido minha alimentação com este objetivo, então com a determinação de sempre fui para a balança, estava me preparando para subir quando o oficial de pesagem perguntou para o rapaz na minha frente:

Oficial de Pesagem: - Qual a sua categoria?
Atleta: -Leve.
Oficial de Pesagem: - Você sabe que a pesagem é uma única vez. NÃO HÁ SEGUNDA CHANCE.

Pronto esta frase acabará com toda a minha determinação, estava pensando sobre o assunto quando o oficial de pesagem pediu para subir na balança. Deu um frio na barriga, mas subi. Fechei os olhos e ouvi ele dizer : 78,800. Ufa! E em seguida pensei: - Que inferno estava quase dois quilos abaixo, se soubesse teria me alimentado melhor.

Entre mortos e feridos eu estava bem e feliz. Agora pensava em descansar um pouco e comer algo leve. Acabei comendo um pastel de carne e tomando um refrigerante, ainda bem que não fez mal! De leve não tinha nada. O inicio estava previsto para as 13:00 hs e enquanto não chegava o horário fiquei perambulando pelo clube e conversando com os amigos.

As 13:00 hs iniciaram-se os discursos e homenagens. Entre dirigentes que discursarão estava o Carlos Eurico da Luz Pereira, Presidente da Federação Gaucha de Judô e concorrente direto na minha categoria, conforme informações obtidas com o Motta ele seria um adversário duro, momentos mais tarde o Carlos Eurico acabou confessando que iria fazer a primeira luta comigo. Achei uma pena ele não lutar, minha motivação aumenta conforme a habilidade do meu adversário.

Os homenageados foram o João Derly e Baby, atletas olímpicos e de currículo invejável. Ficamos aguardando aproximadamente 40 minutos até o inicio oficial da competição. Logo após o comprimento inicial deu-se inicio ao aquecimento. Estávamos ansiosos e querendo lutar meu parceiro de aquecimento foi o Neder e fizemos várias entradas de golpes e troca de pegada para aquecer os dedos e a músculos.

As competições iniciaram pelo M11 e F11, e terminariam no M1 e F1, portanto eu poderia acompanhar uma serie de lutas de interessantes:

M4 – Meio-Médio lutaria o Neder favoritíssimo a ganhar;
M5 – Meio-Leve lutaria o Julio Kawakami e faria duras lutas até chegar à final;
M3 – Meio-Leve Paulinho Castellanos era favorito;
M3 – Leve o Rodrigo Motta era favorito ao titulo;
M3 – Meio-Médio estava o Trinca, favoritíssimo ao titulo;
M3 – Médio o Lex lutaria pelo titulo lutaria.

Neste período vi o Neder demonstrar uma vitalidade de um garoto, assisti ele vencer a primeira e segunda luta por ippon, sendo que em uma delas ele aplicou um belo harai-goshi . Vi o Julinho entrar alguns seios-otoshi e morote-seio-nague sempre com a mesma disposição de quando tinha 20 e poucos anos, acompanhei o Motta aplicar um tai-otoshi baixinho e fiquei impressionado com a força e vigor físico do Trinca, onde sua principal técnica era o O-Soto-Gari. E tudo eu acompanhava da arquibancada junto com o pessoal do JAL – Judô Alto da Lapa, até que anunciaram... “ATLETAS M2 MEIO-MEDIO COMPARECER PARA IDENTIFICAÇÃO...”. Nesta hora o coração bate mais forte e a única coisa que passou pela minha cabeça foi: “Preciso me concentrar!”. Rapidamente peguei o MP3, os fones de ouvido e fui para a identificação, escutando um heavy metal bem light RUNNING FREE – “IRON MAIDEN”. Neste momento iniciou-se a passagem do estado relaxado para o de combate, e agora o meu foco era somente “VENCER”!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Pai, Muito Obrigado. Sentiremos saudades...

Por mais de dois meses fiquei sem escrever e atualizar o blog, durante este período alguns fatos acabaram limitando a minha vontade e/ou tempo de escrever . O principal acontecimento foi a triste noticia sobre a doença do meu pai, ele estava com câncer e em um estagio muito avançado. Ele lutou o quanto foi possivel e mas faleceu devido a uma infecção hospitalar, situação esperada devido ao grande desgaste causado pela quimioterapia.

Lembro que apesar de todas as divergências de atitude e pensamentos, ele foi um dos meus maiores incentivadores para que eu lutasse judô e também foi o mais inconformado por eu ter parado tão cedo. Ele acreditava que eu poderia chegar a uma Olimpíada e até mesmo ganhar (fé de pai) e varias vezes comentou sobre o orgulho de ver o homem que me tornei. Não tenho palavras ou forma de agradecer por tudo que fez por mim apesar de todas as dificuldades.
Neste momento o minimo que posso fazer é agradecer as pessoas que nos apoiaram e estiveram sempre próximas em momento tão difícil. Apesar de eu não expressar os meus mais profundos sentimentos fica a minha gratidão para Pilar, Dr. Murilo, Celia, Ricardo, Marcia, Lia, Carlos, Fabio, Geovana, Hitoshi, Roberta Rocha, Josefa e outros que não me lembro neste momento e aos nossos familiares que sempre estiveram presentes.

Dudu, Vovô Affonso, Enrique e Jessica

Meu Pai. Sentimos saudades e rezamos para que você esteja bem. Muito Obrigado, por tudo! E tenha certeza, eu assimilei todas as coisas boas que você me ensinou.

sábado, 13 de março de 2010

Judô - Seminario de Arbitragem - Novas Regras 2010 - Entendendo

O Sr. Juan Carlos Barcos - Diretor Geral de Arbitragem da FIJ ministrou no ultimo final de semana uma palestra para divulgação e aplicabilidade das novas regras que serão usadas 2010.



No proximo video são passados alguns exemplos utilizados no seminário de arbitragem visando o entendimento do que é ou não permitido pelas novas regras determinaras pela FIJ - Federação Internacional de Judô.



Logo após ao almoço vários grupos se reuniram e consequentemente surgiram muitas duvidas sobre o que era valido ou não. Nesta parte do Seminario o Sr. Juan Carlos Barcos esclareceu várias duvidas que estavam castigando os participantes.